Pensamentos em Palavras

Só mais um blog na internet…

O inventor

Posted by Daniel Baseggio em 14/07/2009

 Disse-me um dia: ‘guarde o vento que me leva, logo voltarei com a aurora’.

Eu não pude crer que aquela estranha criatura, antes horrível, isenta de pudor e de vontade poderia ter algo a me oferecer.
‘Crescemos num piscar de olhos’ – isso marca a passagem da criança para sua puberdade, ontem era pura e sem malícia para que, no outro dia se torna um monstro de ideias malígnas e de coração frio.

Este, que antes de partir estraçalhou muitos corações, feriu muitas pessoas nas quais apenas abicaram algumas horas em deleite de sua presença; nunca passou pela cabeça delas que em momento algum este iria abatê-las. Guardou o fresco frasco da pureza, já que havia perdido a sua prórpia juntamente com a sua infância. Dava passos a noite a procura dessas virgens de coração, para devorá-las.

Momentos mais tarde fora sua vez, sentia-se como quem não podia mais respirar, perdera de novo, mas, agora perdera aquilo que roubava; sim, ele perdera o conforto de ser o melhor.
Passava anos devaneando, entrando e saindo de lares, alfinetando outros corações; até que, desanimado e inconsciente viu a aurora, e, junto dela, inventou uma vida. Seu elixir de êxtase transpassava a barreira do racional. Agora se sente vivo.

O inventor que antes se martirizava pelas perdas, pelo desconhecido, virou o inventor que supre do calor da amada, embreaga-se de sua companhia e inventa seu proprio dia a dia.

Por – Daniel T. Baseggio 14/07/09

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: