Pensamentos em Palavras

Só mais um blog na internet…

Metafísica do Amor – Schopenhauer

Posted by Daniel Baseggio em 26/08/2009

schopenhauer 

Em leituras passadas, faço uma reflexão sobre Schopenhauer a respeito da sua Metafísica do Amor; abaixo segue minha meditação a respeito do tema. Lembrando que estou refletindo sobre a obra dele, meu juízo se manifesta s como mediador: não concordo completamente com o abaixo citado, mas, faz muito sentido!

 O amor, afirma Schopenhauer, é o impulso sexual baseado na Vontade de vida da espécie, em outras palavras, o amor é uma representação da Vontade de vida contida na éspecie humana.
 De fato, os animais não-humanos não necessitam do amor para se aproximarem de seus parceiros e procriarem, mas os humanos necessita de um impurrãozinho da Vontade de vida manifesta na espécie humana. Manifesta, pois, se não houvesse tal Vontade os humanos, cheios de seus egoísmos, não se aproximariam do sexo oposto para procriar e, assim, a espécie humana estaria condenada à extinsão.
 Mas, somente tal afirmação não justifica o fato do amor causar tamanha tormenta; da paixão causar tamanho desejo, e não estabelece o critério para tal desejo; não justifica o fato de ilusão causada por algo que é transcendente à nossa Vontade – a Vontade manifesta na espécie, como uma autoconservação.
 Ora, na medida em que nos apaixonamos, afirma Schopenhauer, nós desejamos as qualidades presentes no sexo oposto nas quais farão parte de nossa futura cria; além disso, não iremos desejar aqueles(as) que não podem nos dar frutos e também não desejaremos aqueles(as) que nos darão frutos nos quais não correponderão com as espectativas de beleza e de vivacidade.
 Assim, o amor é uma ilusão que nos aproxima do sexo oposto afim de fazer com que procriemos. Segue-se o fato de que se despoja mais consideração na cria do que no parceiro(a), isto se dá pelo fato de que o amor somente serviu para criar o fruto, neste momento não há mais o amor, somente uma consideração.
 Portanto, concluindo, o amor é baseado numa Vontade maior do que a nossa – a Vontade da espécie -, manifesta ludibriando o humano à aproximação e procriação, em outros termos: na continuação de nossa espécie; escolhemos os parceiros desejando as qualidades que desejamos para nossos frutos. Assim, o amor não é algo romântico, mas sim uma ilusão.

9 Respostas to “Metafísica do Amor – Schopenhauer”

  1. Maria da Glória L. Cunha said

    Tenho conhecimento sobre o tema, fiz trabalho academico, fico muito impressionada com a trama da natureza que envolve o homem na perpetuação da especie, sem que ele tenha privilégio algum em seu proprio favor. Devemos ser mais realistas e menos romanticos. Arthur Schopenhauer tem toda a razão, admiro-o muito pela ousadia de publicar a obra na época, o que parece que foi escrito para a nossa geração, simplesmente eternas são as suas obras…
    Grata.

    • Fico muito contente de ver que aqueles que são o “alvo” dos posts se manifestam.
      Agradeço sua presença e sua manifestação Maria.
      Minha próxima leitura dele foi a metafísica da morte, mas, assim que eu me encontrar capaz de ler o restante das suas obras o farei, pois, como você sabe, precisamos estar num certo tipo psicológico bom para lidar com Shopenhauer, caso contrário já viu não é.

  2. Ione Aparecida dos Santos said

    Concordo plenamente.

  3. marcus said

    SIMPLESMENTE O MÁXIMO

  4. romario said

    A preção social com suas culturas e ideologias conduiz o homem a viver em armonia com sua parceira o contrario ele a trairia facilmente.

  5. Grazi said

    Texto perfeito!!! E é a mais pura verdade, a realidade do amor nada mais é que isso: representação da Vontade de vida contida na especie humana.É uma pena que certas pessoas não conseguem enxergar isso e ficam se iludindo achando que é uma coisa que na verdade nao é, e com isso depois se fodem .Schopenhauer grande gênio e com certeza sim devemos ter essa visao realista que é a mais pura verdade. E com essa visao realista conseguiremos ser ate mais felizes do que fantasiando certas coisas que na realidade não existem.

  6. joyce said

    Gostei muito do post. Mas sou leiga no assunto… Por isso gostaria de saber como são avaliadas certo tipo de situações, segundo Schopenhauer…
    Como funcionaria duas pessoas que se unem mas sem o desejo de procriar?? Porque tem! Embora com o tempo algumas acabam procriando… E essas que se unem e mesmo 8, 10, 20 anos depois ainda juntos continuaram sem ter filhos? Aí você pode me dizer “Uma hora vão ter…”, mas conheci casais que morreram velhinhos e sem herdeiros diretos.

  7. reinaldo carlos said

    Reinaldo Carlos

    27/04/2015

    muitas pessoas confundi amor com sexo, o amor metafisico ou Eros é a união integral do homem e da mulher ele esta além da atração física, verdade é que o Eros pode até terminar em sexo, e em procriação de filho, mas isso é apenas corolário,enfeite,do amor, a união física ou seja o libido física do masculino com o feminino pode até termina em amor, mas esta mais passivo para o divorcio, o Eros não conhece divorcio mas o sexo sim, o que o amor uni que não separe o sexo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: